I FÓRUM DE VALORIZAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO

O Governo Municipal representado pelo Exmo.Sr. Prefeito Leonardo de Souza Guimarães participou, nesta segunda-feira (24), em Macaé do I Fórum de Valorização dos Municípios do Estado do Rio de Janeiro.
O evento reuniu, no Centro de Convenções Jornalista Roberto Marinho, o Governador Luiz Fernando Pezão; o Deputado Estadual e Presidente da ALERJ, Jorge Picciani; o Prefeito de Macaé Dr. Aluísio, Prefeitos das regiões Norte, Noroeste, Lagos e Serrana; além de vereadores, lideranças políticas, autoridades civis e militares.
A principal discussão foi a crise política e econômica nacional e a queda do preço do barril de petróleo que, nos últimos meses, saiu de US$ 100 para US$ 43, reduzindo o repasse dos royalties para os municípios produtores.
A programação contou com palestras e as temáticas:
A Gestão Pública no Brasil, ministrada pelo Diretor Voluntário do Projeto Brasil Competitivo, Irani Varella; Soluções Governo Inteligente, com o Diretor para Setor Público América Latina de Soluções em Nuvem da Microsoft, Roberto Prado; Programa Rio Digital: Potencial e Impactos Previstos para os Municípios, proferida por Gustavo Tutuca, Secretário de Ciência e Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro; Cenário Econômico: Mundo, Brasil, Estado do Rio – Alternativa e Soluções, tendo como palestrante o economista George Vidor.
Durante o Fórum foram lançados os cursos:
Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública, a Escola Cidadão do Século XXI de a Reformulação do Programa Artesanato do Estado do Rio de Janeiro.
Na oportunidade, o Governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, afirmou que é um risco os Municípios contraírem empréstimos nesse momento com base na antecipação dos royalties: “O momento não é bom porque o preço do dólar está em alta e o do barril do petróleo em baixa. O Estado tem autorização para realizar esse tipo de operação de crédito, mas não vai fazer no momento”.
A mesma afirmação foi do presidente da ALERJ, Jorge Picciani. Ele classificou como uma “temeridade” pegar empréstimo no momento e acrescentou: “Isso vai atrasar em uma década, no mínimo, o desenvolvimento de cada município”.

Compartilhar no Facebook